domingo, 6 de março de 2011

O Ultimo Diario do Elvis Presley


por Sérgio Farias

Desde que Elvis Presley morreu há trinta anos, muito se escreveu sobre o "Rei do Rock". Porém o mito superou o homem e o sensacionalismo ofuscou a verdade sobre um dos maiores artistas de todos os tempos. Nascido em uma humilde família americana de Tupelo, no Mississipi, Elvis chegou ao estrelato em 1955. Sua influência e seu fenomenal sucesso podem ser resumido numa frase: "Antes de qualquer um fazer alguma coisa, Elvis fez tudo"

Os relatos de que Elvis estava decadente no final de sua vida, parecem não se conjugar com as muitas glórias que ele continuou a acumular. Só para citar algumas: em 1971, ele teve seu nome batizando uma das avenidas de sua cidade natal em Memphis; no mesmo ano, Elvis recebeu o Grammy pelo conjunto de sua obra; seu trigésimo terceiro e último longa-metragem, "Elvis On Tour", que cobriu uma grande turnê que Elvis fez pelos Estados Unidos em 1972, recebeu o Globo de Ouro como "Melhor Documentário"; o álbum duplo "Aloha From Hawaii", cujo concerto foi exibido pela TV, via satélite, para meio bilhão de expectadores em todo mundo, foi ao primeiro lugar nas paradas de sucesso em 1973.

Em seus último ano de vida, Elvis continuou gravando, colocando discos nas paradas, tendo seus concertos lotados e fazendo planos para o futuro. Como uma homenagem ao "Rei do Rock", segue um diário dos últimos doze meses de uma vida vibrante e de muito talento.

05/08/1976 - Elvis realiza seu quinquagésimo-sexto concerto do ano, no Cumberland Country Memorial Auditorium, em Fayetteville.

08/09/1976 - Após um concerto no Convention Center, em Pine Bluff, a turnê de Elvis faz uma pausa, após setenta e um shows. Na ocasião, o contador do cantor contabiliza que a turnê de 1976, já acumula um lucro líquido de um milhão de dólares.

11/09/1976 - Começam as férias de Elvis. Ele se divide entre Graceland, sua mansão em Memphis, uma estada de dez dias em Palm Springs e uma semana no novo apartamento de sua namorada, Linda Thompson, em Los Angeles.

14/10/1976 - A turnê de Elvis recomeça no Chicago Stadium, em Chicago.

16/10/1976 - Elvis fica lisonjeado ao saber que o single "Disco Duck (Part 1)" interpretado por Rick Dee and His Cast of Idiots está em primeiro lugar nas paradas de sucesso nos Estados Unidos. Rick Dee conterrâneo de Elvis, em uma entrevista havia afirmado que gravou a canção imitando a voz de Elvis como uma homenagem ao Rei do Rock.

28/10/1976 - A gravadora RCA envia um estúdio móvel em um caminhão, a Graceland para continuação das sessões de gravação do álbum "Moody Blue"

29 a 30/10/1976 - No estúdio móvel da RCA, sob a produção de Felton Jarvis, são gravadas "Jungle Room" e "Way Down", porém a sessão é interrompida pela entrega de uma nova motocicleta da marca Haley-Davidson, feita por encomenda para Elvis.

01/11/1976 - Elvis continua suas férias viajando para Denver e Dallas.

16/11/1976 - Elvis recebe em Memphis a entrega de uma nova Ferrari.

19/11/1976 - Elvis começa um romance com uma "Rainha da Beleza do Tennesse" de dezenove anos, chamada Ginger Alden.

20/11/1976 - Empolgado com o novo namoro, Elvis leva Ginger para Las Vegas.

23/11/1976 - Jerry Lee Lewis aparece, nas primeiras horas da manhã, nos portões de Graceland, aparentemente muito alterado e portando um revolver. O cantor é impedido de entrar pelos seguranças de Elvis.

24/11/1976 - Elvis reinicia sua turnê em um concerto no Centennial Coliseum, em Reno, Nevada. Apesar de estar começando a sair com Ginger Alden, Elvis começa a turnê acompanhado por Linda Thompson.

28/11/1976 - Antes de duas apresentações no Cow Palace, em San Francisco, Elvis convida Ginger Alden para acompanhá-lo na excursão. Elvis manda seu jato particular pegá-la, enquanto sugere que Linda Thompson volte para Memphis.

29/11/1976 - Lançamento do single "Moody Blue" que chega ao primeiro lugar da parada de sucesso de música country da revista Billboard.

02/12/1976 - Dizendo estar inspirado pela presença de Ginger Alden, Elvis inicia as duas semanas (já previamente vendidas) no Hilton Hotel, em Las Vegas, com uma elogiada e impactante performance.

05/12/1976 - Elvis cai pouco antes do show daquela noite, machucando o tornozelo, mesmo assim ele segue sua agenda de concertos.

10/12/1976 - Elvis convida os pais, duas irmãs, o irmão e a cunhada de Ginger Alden para assistirem seu show no Hilton Hotel, em Las Vegas. Elvis também presenteia a namorada com um carro Lincoln Continental. Entretant, Elvis dá sinais de fadiga durante o concerto.

13/12/1976 - Elvis passa duas semanas descansando em Graceland.

17/12/1976 - Barbra Streisand envia a Elvis um convite para a estréia do filme "A Star Is Born" ("Nasce Uma Estrela"). Barbra havia convidado Elvis para co-estrelar o filme com ela, em um encontro dos dois em Las Vegas, em março de 1975. Elvis ficou entusiasmado na época, mas acabou sendo substituído por Kris Kristofferson, pois o Coronel Tom Parker, empresário de Elvis, não chegou a um acordo referente ao controle dos direitos autorais da trilha-sonora.

25/12/1976 - O jornal musical britânico Rock Star traz em sua capa o grupo Sex Pistols, o Rolling Stone Mick Jagger, o ator David Soul e Elvis Presley. Sobre o "Rei do Rock", a matéria diz que sua agenda para 1977 está completa. Segundo fontes ligadas ao seu fã clube, Elvis provavelmente, em 1978, embarcaria em uma turnê mundial, com concertos na Europa, Austrália e Ásia. Sobre seus planos de viajar para o exterior, Elvis diz ter saudades de Paris e de Frankfurt, cidades européias que ele conheceu nos anos 50.*

*Uma curiosidade sobre Elvis: Sua visita secreta a Londres

Elvis Presley pelo que se sabia viajou pouco para o exterior. Para se ter uma idéia dos 823 concertos que fez entre 1954 e 1977, apenas dois foram fora dos Estados Unidos, no Canadá. .Porém sua espetacular popularidade fez com que ele, ao longo de sua carreira, sempre recebesse várias ofertas para uma turnê mundial. Mas Elvis não viveu para cumprir uma agenda internacional programada para 1978.
Na Europa, durante o serviço militar, Elvis foi um "recruta superstar", fazendo a festa dos tablóides, ao volante de uma BMV 507, acompanhado de musas européias em badalações por Frankfurt, Munique, Stuttgart e Paris. Entretanto pouco foi divulgado sobre seus 80 minutos em solo britânico, no dia dois de março de 1960, quando seu avião, de volta aos Estados Unidos, pousou no aeroporto de Prestwick, na Escócia para abastecer. Elvis desceu da aeronave distribuiu autógrafos para alguns dos 100 fãs presentes e concedeu entrevistas. O aeroporto exibe orgulhosamente uma placa como registro da passagem de Elvis.
Mas, recentemente uma entrevista com o cantor inglês Tommy Steele, 71 anos, revelou um segredo que ficou guardado por 48 anos, O ex-astro pop disse ao jornal Daily Mail: "Jurei a Elvis nunca dar publicidade a isto. Apenas espero que Elvis me perdoe" Ele afirma que ciceroneou Elvis em uma visita secreta a Londres, em 1960.
Os escoceses, alimentando uma antiga rivalidade, sempre se vangloriaram de que Elvis esteve na Escócia e não na Inglaterra. Agora exigem uma comprovação da visita de Elvis a Londres. A polemica deve continuar.
Postar um comentário